Em Génesis 1.28 está escrito: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”.

A primeira ordem dada ao homem, na velha criação, foi para que ele crescesse e se multiplicasse. A mesma ordem nos é dada hoje, na nova criação.

Nós fomos chamados para mudar o destino de pessoas e nações. A questão prende-se sobretudo com almas que viverão eternamente no inferno ou no céu. Esta vida é curta. A Bíblia compara-a ao vento ou a uma flor que nasce de manhã e murcha pouco depois. 

Nós cristãos temos a missão de dar a conhecer Aquele que pode mudar o destino das pessoas. Se a nossa fé e a nossa comunhão com Deus forem reais e traduzidas em ações, poderão inspirar a procurarem o “caminho”. 

Ao analisarmos a Bíblia concluímos que Deus está interessado em números. Ele quer o céu a transbordar. Cada ser humano é insubstituível e foi criado para viver eternamente com Ele; mas para isso acontecer é necessário que antes conheça o Evangelho: “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado…” Essa fé no Filho de Deus e na Sua obra no Calvário é o “poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê”.

 Em Mateus 28.20 lemos: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, baptizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo;” Em Marcos 16.15 diz: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura…” Em Isaías 54.2 diz: “Alarga o espaço da tua tenda; estenda-se o toldo da tua habitação, não o impeças; alonga as tuas cordas e firma bem as tuas estacas. Porque transbordarás para a direita e para a esquerda; a tua posteridade possuirá as nações e fará que se povoem as cidades assoladas.” Em João 3.16 diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crer não pereça mas tenha a vida eterna.”  

Jesus disse que a seara está pronta. Ou seja: O mundo está maduro para ser colhido. Então qual é o problema? Não temos trabalhadores para a colheita da seara. Para vermos o mover de Deus, mas precisamos de preparar ceifeiros, para que a seara não apodreça. Esta é a razão pela qual investimos tempo, energias e recursos em pessoas que acreditamos terem potencial para ser líderes e servirem a igreja na nossa geração. Nosso foco é sermos uma igreja de ceifeiros! Uma igreja de ministros, de líderes! Uma igreja de discípulos seguidores do Mestre!

Na igreja todos podem sentir-se úteis. Na igreja há oportunidades para todos os que querem cumprir a sua responsabilidade: “Cada casa uma igreja, cada cristão um líder ou ministro que serve O Pai e o Seu Reino, com os dons recebidos.” 

Cristãos que não comprometidos são turistas. Eles esperam ser mimados, ministrados e entretidos. Em troca participam com o mínimo para manter a igreja aberta;

 A igreja ao estilo de Cristo tem a missão de fazer discípulos que têm oportunidade para desenvolver seus potenciais e produzir frutos e frutos que permanecem. O sistema de Jesus foi projectado para resultar em produtores e não em consumidores. A verdade é que cada um de nós é um sacerdote e um ministro de Deus que serve as pessoas! (I Ped. 2.9). Jesus chamou-nos a fazer discípulos e não apenas convertidos ou simpatizantes.

  Um cristão comprometido com a seara deseja saber como pode ser útil, como desenvolve a sua intimidade com Deus, como sintoniza a sua vida com o Espírito Santo. Encara as suas próprias guerras e ainda tem disposição para dar apoio e socorro aos novos irmãos na fé.

Estagnação ou multiplicação são nossa responsabilidade. Estagnar é morrer, é andar para trás; é ficar aquém do que é esperado de nós. Multiplicar é o nosso objetivo e o que está no coração de Deus que: “…quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade.” I Tim. 2.4. Anime-se, esforce-se, cresça e frutifique!

Jacinto Rosa 

 

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.

Pin It on Pinterest

Share This